Na psicologia, dividimos a ansiedade em alguns tipos como pânico, ansiedade generalizada, fobias específicas, ansiedade social. A ansiedade social é, como o próprio nome já diz, a ansiedade que aparece em interações sociais.

As causas da ansiedade social

Muitos estudos foram feitos para investigar as causas. Por exemplo, em gêmeos idênticos, há maior probabilidade de que ambos tenham do que em irmãos não gêmeos? A resposta é que sim. A probabilidade é maior. Entretanto, gêmeos tendem a viver no mesmo ambiente (família, escola), o que também pode ser um fator importante como causa. Não podemos afirmar que a causa esteja somente nos genes. É frequente que uma pessoa que sofra com a ansiedade social relate que um ou mais membros da família também tenham.

Outra possível causa que aparece é de uma ou algumas experiências difíceis na infância ou adolescência. Por exemplo, ter que falar em público na escola ou ter que fazer uma apresentação, como um teatro ou uma prova oral. Outros eventos na história de vida como bullying também podem estar relacionados.

No livro Managing Social Anxiety, Debra Hope e colegas escrevem: “É relativamente incomum que a ansiedade social comece quando já se está com 20 anos ou mais” (pos. 630, versão Kindle). Ou seja, as origens na grande maior parte dos casos começa antes dos 20 anos.

Este livro é voltado para quem tem ansiedade social. Você pode ler em português aqui – Vencendo a ansiedade social 

Algumas características da ansiedade social

Do ponto de vista da própria pessoa, a ansiedade é sentida através de sensações no corpo como, por exemplo: tremores, sudorese, frio na barriga, taquicardia, boca seca. Junto das sensações físicas surgem pensamentos automáticos, geralmente sobre ineficácia pessoal como “não dou conta de falar” ou “o que essa pessoa vai pensar de mim?”

No mesmo livro citado anteriormente, lemos: “Se você perguntar para uma pessoa com ansiedade social como é a sua performance em uma conversa, por exemplo, ela quase sempre vai subestimar o quão bem ela está indo” (pos. 573, Kindle).

Isso pode acontecer durante uma interação ou nas lembranças de interações passadas. Em uma apresentação em um curso ou no trabalho, a pessoa com ansiedade social vai ficar com o foco no negativo: nos segundos em que parou para pensar, errou uma palavra ou titubeou. Curiosamente, as outras pessoas todas não vão se lembrar disso porque esses detalhes de fato não são importantes.

Dicas para superar

As dicas a seguir podem ajudar, mas dependendo da intensidade da ansiedade social, é recomendável fazer psicoterapia. Muitas pessoas com ansiedade social justificam dizendo que são introvertidas ou que essas são características de personalidade que são imutáveis: “sempre fui assim, logo sempre serei assim”. E isso não é verdade.

Claro que podemos ter uma tendência (Jung frisou muito a tendência e não a fixidez na atitude) a sermos mais introvertido ou extrovertidos. Podemos escolher ter uma vida mais reservada e, nesse caso, é uma escolha e tudo bem.

Porém, é importante refletir até que ponto as escolhas não se devem à ansiedade social e até que ponto a ansiedade não está limitando a própria vida.

Uma pessoa que quer progredir no trabalho mas tem vergonha de falar em público pode justificar seu comportamento dizendo que é introvertida. Uma pessoa que quer ter uma relação e tem medo de conhecer outras pessoas pode dizer que está bem sem ter um relacionamento amoroso. A questão que surge é se é verdade ou não tais justificativas.

Se não forem verdadeiras, temos uma boa notícia. A ansiedade social, o medo de se relacionar, de conversar, a vergonha de interagir e aparecer podem ser tratadas. Como disse acima, vale muito a pena buscar ajuda profissional de um psicólogo ou psicóloga. Vamos para as dicas, agora:

1. Aceite as sensações

Sentir reações fisiológicas de ansiedade no corpo é algo natural. Podemos ter a consciência de que o que surge no corpo se deve à uma história evolutiva do corpo humano. E a ansiedade é algo muito prevalente, ou seja, quase todo mundo experiencia, em algum grau, uma tipo de ansiedade.

Você pode começar a praticar meditações de atenção plena, Mindfulness. Elas ajudam com alguns meses de prática já a ter mais consciência corporal, a ficar com sensações desconfortáveis e a ter a compreensão de que as sensações se transformam com o tempo.

Programa de 8 semanas de mindfulness online e individual 

2. Analise os pensamentos automáticos

Na ansiedade social, aparecem pensamentos automáticos na hora da interação ou antes de situações sociais. Note que tipo de pensamento aparece. Se quiser, você pode escrever os pensamentos em um diário. Uma forma de questionar o pensamento que surge é pensar: “nessa situação, se eu não tivesse esse pensamento, se esse pensamento nunca passasse pela minha cabeça, quem eu seria? O que eu faria de diferente?

3. Dê pequenos passos e valorize as pequenas iniciativas

Cada pessoa que sente ansiedade social tem as suas particularidades. Existem pessoas que conseguem dar palestras para centenas de pessoas, mas apresentam ansiedade na hora de gravar um vídeo.

Pare e reflita sobre o que é um pouco difícil, o que é difícil e o que é muito difícil para você agora. Lembre também do que você já consegue. Brinque então com os próximos pequenos passos que você pode dar.

Se você tem vergonha de gravar um vídeo, dê um pequeno passo e grave um vídeo só para você. Ou grave um vídeo pequeno e talvez compartilhe com amigos.

Se você sente dificuldade de ir a um encontro, ou fazer uma apresentação, ou comer em público, tente encontrar o que você pode fazer que seja um pouquinho a mais do que você já faz. Fazer pode gerar ansiedade (lembre da dica 1). Com o tempo, você pode brincar de se desafiar a ir fazendo cada vez mais e com mais tempo você estará fazendo o que antes parecia impossível.

Saiba mais – Vencendo a ansiedade social 

Dúvidas, sugestões, críticas, deixe um comentário.

Psicólogo Clínico e Online (CRP 06/145929), formado há 14 anos, Mestre (UFSJ) e Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness, Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma Sessão Online via Skype, Problemas de Relacionamentos ou Orientação Profissional e Coaching de Carreira , fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! e Instagram! Email - [email protected] - Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913