Como o nosso site tem milhares de acesso por dia e como muitos me perguntam sobre a carreira dentro da psicologia, hoje gostaria de salientar um aspecto que pode fazer muito diferença no sucesso profissional – não só na psicologia, como em outras áreas também. Este aspecto da profissão aparece no currículo como Línguas Estrangeiras ou simplesmente Idiomas.

Infelizmente não temos à nossa disposição nas escolas (nem nas particulares), uma aprendizagem de línguas eficiente. Normalmente temos uma ou duas aulas de inglês por semana, mas com pouco progresso ao longo dos anos. Por isso, acabamos tendo que ir atrás de cursinhos fora da escola.

Eu tive a sorte de ter tido a oportunidade de estudar inglês em escolas de línguas desde os 10 anos. Passei pelo CCAA, CNA, Number One e, durante e depois do meu mestrado na faculdade de Letras (estudei o conceito de identidade na obra do escritor irlandês James Joyce), dei aulas de inglês.

Ter aprendido inglês foi fundamental para a minha carreira. Sem ter aprendido inglês não teria feito iniciação científica – com o dinheiro da bolsa comprei meu primeiro computador – nem teria feito mestrado e doutorado. Esse site provavelmente também não existiria se eu não soubesse inglês, pois tudo o que aprendi sobre programação e WordPress foi no lynda.com

Mas não só a programação do site, centenas de textos que escrevi aqui foram baseados em livros que ainda não foram traduzidos para o português.

Metas e objetivos

Essa semana, particularmente, me fez refletir sobre a importância de ter um segundo (ou terceiro, quarto) idioma(s). Conversei com o pessoal do App Goalify em inglês e aprendi uma super ferramenta para utilizar com meus clientes e pacientes do Coaching e da Orientação Psicológica Online. Falarei mais sobre o Goalify ainda, em outros posts. Eles são ótimos. Estão localizados na Áustria.

E outro fato é que voltei a estudar de novo o alemão. Agora com aulas particulares no Italki. E, de novo, tudo isso não teria sido possível sem o inglês já conversei  Michal e Clara do Goalify em inglês – a língua nativa deles é o alemão, eu consigo ler mas não falo – e para as aulas de alemao também uso o inglês como essa ponte já que minha professora não fala português.

Enfim, creio que é fácil de visualizar que uma língua amplia os nossos horizontes e pode representar realmente uma remuneração maior.

E, ao contrário do que muita gente fala, não é difícil aprender  uma segunda língua. Segundo os cálculos do criador do método da taquigrafia, utilizamos cerca de 700 palavras no dia a dia. Se aprendermos apenas 2 palavras por dia, em apenas 2 anos já saberemos esse básico.

Então, temos:

– Um objetivo maior com uma meta: aprender um idioma

– E podemos ter objetivos menores até atingir o objetivo maior, ou seja, aprender a ler, ouvir, falar, escrever

– E, como meta diária ou semanal, podemos dividir em número de palavras (aprender 2 ou 10 palavras por dia) ou por hora estudada

Psicologia e Línguas estrangeiras

Falando agora especificamente sobre psicologia, as línguas que mais nos ajudam a estudar os mais importantes autores são:

  • inglês (autores como William James, Watson, Skinner, Rogers e muitos outros além dos artigos científicos serem escritos em inglês ou, no mínimo, terem o resumo em inglês)
  • alemão (Wundt, Freud, Jung, Adler – só para citar alguns)
  • francês (Lacan, Wallon, Moscovici, Janet, etc)

Sites e Apps para aprender

Além do italki, veja a lista completa de Cursos aqui

Cursos de idiomas gratuitos 

Conclusão

Concomitantemente ou antes de fazer uma faculdade – se possível – é extremamente desejável investir no aprendizado de uma língua estrangeira. Os cursos citados no link acima e os cursos presenciais nos ajudam pelo fato de terem sido construídos como um passo-a-passo lógico e didático, mas com a internet não existe mais desculpa para não aprender um outro idioma.

Com um grande professor de psicologia comportamental, aprendi que o mais importante para aprender uma língua é a imersão total, ou seja, estar o tempo todo com o idioma escolhido próximos de nós. Pode ser ouvindo uma música ou um filme, mudando a língua do celular ou tablet para a língua que estamos estudando, encontrando pessoas para conversar (no italki podemos não só pagar por aulas como trocar aulas com outras pessoas, por exemplo, ensinado português e aprendendo outra coisa).

Quando falo da importância de ter ao menos uma segunda língua, sempre me lembro de um processo seletivo para uma empresa que foi realizada pela consultoria de RH na qual trabalhei. O grande diferencial do processo foi ter ou não o inglês intermediário. Foi triste para mim ver pessoas muito capazes e competentes perdendo a vaga porque o inglês era básico ou nulo. Também já vi estudantes excelentes perdendo oportunidades de obter bolsas de mestrado e doutorado por não terem estudado o idioma específico do programa.

Por isso, é importante ter em mente: aprender uma língua é fácil. Uma criança de 1 ano já consegue entender o que as pessoas ao seu redor falam. Mas é um processo que exige dedicação. Já imaginou você daqui a 4, 5 anos tendo fluência em uma língua e podendo se abrir para a comunicação com pessoas de outros países?

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Vídeos e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade). E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - (12) 3042-0336 - Whatsapp (35) 99167-3191 - Snapchat: psicologiamsn