Quando comecei a praticar Mindfulness através de práticas meditativas, senti nesse começo uma grande separação entre estar prestando atenção na minha respiração – ou outra âncora – e a minha vida cotidiana. Como se fossem dois modos de funcionamento distintos: um com plena atenção e silêncio e o outro (a rotina) com seu costumeiro barulho, fluxo de pensamentos, hábitos e automatismos.

Mindfulness na vida diária

(Embora com a prática formal eu já notasse enormes benefícios), surge a pergunta: como levar a atenção para o dia a dia? Como vencer essa barreira e permanecer atento, alerta ao mesmo tempo que relaxado, ao longo de um período em que temos que fazer aquilo que temos que fazer – seja o que for?

Passados alguns anos, aprendi algumas formas de praticar Mindfulness de maneira informal, ou seja, sem ter que estar em um espaço definido e em uma postura correta. Nos Programas de 8 semanas de Mindfulness aprendemos a ter curiosidade e a despertar todos os nossos sentidos ao comer, ao andar, ao ouvir um som, perto ou distante, talvez uma conversa ou o próprio pensamento.

Ellen Langer – Mindfulness

Ellen Langer, considerada a mãe do movimento Mindfulness fala sobre o seu percurso de pesquisas na área.

“Meu trabalho sobre Mindfulness foi conduzido inteiramente dentro da perspectiva científica ocidental. Inicialmente, meu foco estava centrado na falta de atenção (mindlessness) e sua prevalência na vida cotidiana. Como pode ser visto na ordem dos capítulos deste livro [Mindfulness, 25 edição], a noção de Mindfulness se desenvolveu gradualmente ao olhar os aspectos da falta de atenção e depois no outro lado da moeda. Apenas após uma série de experimentos demonstrando os cursos de uma mentalidade rígida e uma perspectiva unilateral que eu comecei a explorar o enorme potencial da atitude de atenção plena na saude, criatividade, e no trabalho” (Tradução minha).

Uma destas pesquisas está descrita em um dos nossos vídeos da série Experimentos na Psicologia e demonstra os resultados benéficos de ter que cultivar a atenção ao cuidar de uma planta.

Se temos que cuidar de uma planta ou de um animal, teremos que ter atenção nesse cuidado. Mas para aumentar o nosso estado de atenção, não precisamos necessariamente seguir por essa via.

Como domar um elefante

Um livro que recomendo muitíssimo é “Como domar um elefante – 53 maneiras de acalmar a mente e aproveitar a vida”. Neste livro a autora, Jan Chozen Bays – que também trabalha com Mindful Eating, nos indica 53 exercícios para praticarmos durante um ano, um por semana.

A Aline Kimura está acompanhando o livro com vídeos sobre cada uma destas 53 práticas. Também recomendo se inscrever no Canal e acompanhar a série:

Para vocês terem uma ideia de como levar Mindfulnes para o dia a dia, as 3 primeiras práticas são:

  1. usar a mão não-dominante (no meu caso, a esquerda)
  2. não deixar rastros em um cômodo (como a cozinha, lavando a louça e arrumando depois de usar)
  3. evitar cacoetes (né, tá, tipo…)

Ao se propor realizar uma prática dessa por semana, vamos devagar e sem perceber aumentando o estado de atenção plena no dia a dia. Portanto, boas práticas e comentem por aqui também!

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Vídeos e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade). E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - psicologiamsn@gmail.com - (12) 3042-0336 - Whatsapp (35) 99167-3191 - Snapchat: psicologiamsn