Olá amigos!

Muitas pessoas tem dúvidas a respeito da psicopedagogia. Enquanto, talvez, muitos de vocês desconheçam o que é e como é esta área de atuação, outros sabem um pouco mais a respeito, mas, acredito, não sabem em detalhes sobre tudo o que envolve a psicopedagogia. Por isso, neste texto vou falar mais sobre psicopedagogia. Se você sabe um pouquinho, nunca ouviu falar ou tem dúvidas específicas, este texto é para você!

O que é psicopedagogia?

Para começar, sempre é útil analisarmos o termo. A palavra psicopedagogia reúne em uma única palavra duas grandes áreas de atuação: psico (psicologia) e a pedagogia. Até muito recentemente, a psicopedagogia era uma especialização para psicólogos e pedagogos para a atuação clínica e escolar em questões e dificuldades ligadas à educação. O exemplo clássico é o da criança que tem dificuldade, digamos, de escrever corretamente, a chamada disgrafia.

Os pais, provavelmente com solicitação dos professores ou da escola, recebem a recomendação de uma consulta psicopedagógica. O psicopedagogo, tendo formação em psicologia ou pedagogia, vai avaliar o problema, a dificuldade de aprendizagem através das técnicas específicas da área e vai trabalhar para que o problema seja superado.

O Conselho Federal de Psicologia define a psicopedagogia deste modo: “a Psicopedagogia é uma área de interseção entre a Psicologia e a Pedagogia, um saber constituído a partir das intervenções na educação, destas duas áreas em conjunto, envolvendo atividades que são da competência do psicólogo e do pedagogo. Ou seja, é uma especialidade no âmbito das duas áreas e que, portanto, exige a formação geral e básica em uma delas.”

Porém, este posicionamento do CFP vai contra uma nova possibilidade que está surgindo, de que a psicopedagogia seja uma profissão à parte. Agora há curso de graduação em psicopedagogia, quer dizer, se até há pouco era necessário fazer uma graduação anterior, em psicologia ou pedagogia, e somente depois se especializar, atualmente é possível já ir direto para a psicopedagogia.

Entretanto, preciso deixar claro que a graduação não está sendo oferecida ainda em muitas regiões do Brasil, ao contrário da especialização (que é mais disseminada). O Curso pioneiro é o da Universidade Federal da Paraíba. No site desta instituição, podemos nos informar melhor sobre a graduação em psicopedagogia.

Graduação em Psicopedagogia

Segundo o site da UFPB (Universidade Federal da Paraíba) o objetivo do curso de graduação em psicopedagogia é o seguinte:

“Capacitar o profissional a lidar com os processos de aprendizagem e suas dificuldades junto à criança ou o adolescente, ao adulto ou à instituição, estimulando aprendizagens significativas, de acordo com suas possibilidades e interesses.

O trabalho do Psicopedagógico tem como objetivo:

1) promover a aprendizagem, garantindo o bem-estar das pessoas em atendimento profissional, devendo valer-se dos recursos disponíveis, incluindo a relação inter-profissional;

2) realizar pesquisas científicas no campo da Psicopedagogia”.

Em outras palavras, podemos entender que a psicopedagogia vai estudar as diversas teorias a respeito da aprendizagem, teorias estas que nasceram dentro da psicologia e dentro da educação em geral (pedagogia) e, profissionalmente, o estudante poderá depois de formado atuar em clínicas, consultórios, escolas ou outras instituições de ensino visando a promoção da aprendizagem e da superação de bloqueios, barreiras ou “doenças” que impeçam ou dificultem a assimilação dos conhecimentos.

Pós-Graduação (Especialização) em Psicopedagogia

Como disse acima, existem diversas pós-graduações em psicopedagogia em todo o território nacional. Como toda pós-graduação, só quem já possua a graduação anterior pode se inscrever e participar. Pelo que pude observar, os cursos de especialização em psicopedagogia não são voltados exclusivamente para psicólogos e pedagogos, embora estes dois profissionais sejam os que mais se inscrevem.

No site da PUC-SP, vemos que o público-alvo para a especialização também contempla fonoaudiólogos, assistentes sociais e professores com licenciatura plena. Se pensarmos em cada uma destas profissões, veremos que faz todo sentido os profissionais da fonoaudiologia, da assistência social e professores de todas as licenciaturas também terem acesso à possibilidade de especialização na área. Afinal, todos eles lidam com os processos de aprendizagem e podem ajudar diretamente crianças, jovens e adultos em sua educação.

Segundo o site da PUC-SP, os objetivos da Pós-Graduação em Psicopedagogia são:

  • Formar o profissional para o trabalho de intervenção psicopedagógico no processo de aprendizagem, oferecendo conhecimento para atuação na instituição, tanto na prevenção, como no tratamento dos problemas de aprendizagem;
  • Formar o profissional numa abordagem psicopedagógica-clínica, considerando o sujeito em seu processo de aprendizagem, no seu meio escolar, socio-cultural e familiar;
  • Contribuir com a construção de conhecimento na área da Psicopedagogia por meio da pesquisa.

De modo semelhante à graduação, ainda incipiente, a pós-graduação visa formar profissionais para atuar em instituições (escolas, universidades, cursos técnicos, etc) para antever dificuldades ou para solucioná-las. Portanto, comporta basicamente três níveis de atuação: a atuação em instituições, em clínicas ou consultórios e no nível de pesquisa, ou seja, a produção científica e a acadêmica dentro de universidades públicas e privadas, como mestrando, doutorando, pos-doutorando ou livre docente.

Aprovação da Psicopedagogia como uma profissão

Para quem não conhece muito da área, pode parecer estranho que a psicopedagogia não seja uma profissão. Quando disse acima que o Conselho Federal de Psicologia é contra a profissão à parte de psicopedagogia não queria dizer que o CFP é contra a psicopedagogia. A defesa que o CFP faz, juntamente com os Conselhos de Pedagogia e Fonoaudiologia (as principais profissões que utilizam a psicopedagogia) é a de que a psicopedagogia deve ser uma especialização posterior e não uma profissão independente e à parte.

No site da Associação Brasileira de Psicopedagogia podemos ver a história desta instituição para que seja aprovada a profissão de psicopedagogo, quando eles divulgam o seguinte:

“Em 1997, o Deputado Federal Barbosa Neto, atendendo ao pedido de algumas psicopedagogas, criou o Projeto de Lei no. 3124/97 que dispõe sobre a regulamentação da profissão de Psicopedagogo, cria os Conselhos Regionais de Psicopedagogia e determina outras providências. Este projeto foi encaminhado à Comissão de Trabalho no dia 15/5/97 e aprovado pela mesma Comissão no dia 3/9/97. Após esta aprovação este Projeto de Lei foi encaminhado à Comissão de Educação, Cultura e Desporto onde permaneceu por quatro anos e também foi aprovado, com algumas emendas, no dia 12/9/01. Atualmente este P.L. está na Comissão de Constituição e Justiça e de Redação esperando pela sua aprovação. Caso seja aprovado (o que esperamos que aconteça), este P.L. irá para o Senado para a sua apreciação e, depois ser sancionada pela Presidente da República”.

Não há uma atualização mais recente sobre a aprovação da Lei pelo Senado no site da Associação Brasileira de Psicopedagogia. Mas no site do Conselho Federal de Psicologia podemos nos informar (em março de 2014) a respeito deste processo de aprovação.

Nota do Conselho Federal de Psicologia:

Diz o site do CFP:

“O Projeto de Lei Complementar (PLC 31/10), que regulamenta a atividade de Psicopedagogia, será apreciado pelo plenário do Senado. Recebida nesta quarta-feira (19/2) pela presidência da Casa, a matéria ficará sobre a mesa diretora por cinco dias úteis para recebimento de emenda. O PLC foi aprovado na semana passada pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) da Casa e retornaria para a Câmara dos Deputados, caso não houvesse recurso.

Após a votação da CAS, o CFP articulou com a liderança do governo, que também se mostrou contrária ao PLC, no intuito de apresentar um recurso solicitando que o projeto seja apreciado no plenário do Senado, retirando o poder terminativo das comissões. O documento contou com a adesão de nove senadores.

Com posicionamento contrário a aprovação do PLC, a presidente do Conselho Federal de Psicologia (CFP), Mariza Borges, enfatiza que a formação de psicopedagogo se dá no âmbito da pós-graduação e é multiprofissional, portanto, não deve ser regulamentada como profissão.

A proposta apresentada pelo CFP aos senadores defende, no entanto, que não há como exercer uma especialização como a Psicopedagogia sem antes regulamentar a profissão de Pedagogo. A intenção é que seja feita uma análise conjunta do PLC 31/10 com o PLC 196/09, que regulamenta a Pedagogia.

A presidente do CFP adiantou que as articulações para que o PLC não siga adiante irão continuar. “O Sistema Conselhos está trabalhando no sentido de que o recurso apresentado aos senadores em relação ao PLC seja acatado pela mesa do plenário”.

Atendimento e formação

Das três categorias contempladas no projeto, Psicologia, Fonoaudiologia e Pedagogia, nenhuma é a favor que o PLC seja aprovado.

Além dessas profissões, o texto aprovado pela CAS do Senado também autoriza o exercício aos portadores de diploma de curso superior que já venham exercendo, ou tenham exercido, comprovadamente, a psicopedagogia em entidade pública ou privada até a data de publicação da lei.

O atendimento psicopedagógico constitui-se uma dentre as possibilidades de atuação desses profissionais e é um saber constituído a partir das intervenções na educação. De acordo com pesquisa do CFP divulgada em 2012, aproximadamente 21,4 mil psicólogos atuam nessa área em todo Brasil.

De acordo com o portal e-MEC, atualmente existem 2.141 cursos de Pedagogia em atividade no Brasil. Já os de Psicopedagogia reconhecidos pelo ministério somam seis em todo País”.

Conclusão

Atualmente, a psicopedagogia não é considerada, por lei, uma profissão à parte no Brasil. É, portanto, uma especialização principalmente de psicólogos, pedagogos e fonoaudiólogos que atuam diretamente com educação, seja em pesquisas, instituições ou clínicas.

Portanto, para quem possui interesse em trabalhar ou estudar mais a fundo a área de psicopedagogia, o caminho é fazer primeiro uma destas graduações e, depois, investir em um curso de pós-graduação específico.

Veja também – Curso de Psicopedagogia

 

Psicólogo Clínico e Online (CRP 04/25443), Mestre (UFSJ), Doutor (UFJF), Instrutor de Mindfulness e Pós-Doutorando (Unifesp), Coach e Presidente do Instituto Felipe de Souza. Como Professor no site Psicologia MSN venho ministrando dezenas de Cursos de Psicologia, através de textos e Vídeos em HD. Faça como centenas de alunos e aprenda psicologia através de Cursos em Vídeo e Ebooks! Loja de Vídeos e Ebooks. Você pode também agendar uma sessão de Coaching Online via Skype, Relacionamentos ou Carreira (faculdade), fazer o Programa de 8 Semanas de Mindfulness Online e Orientação Profissional Online. E não se esqueça de se inscrever em nosso Canal no Youtube! Email - [email protected] - Atendimento presencial na Av. Paulista: Agendar - Whatsapp (11) 9 8415-6913